Recentemente as redes sociais foram dominadas por milhões de postagens com a hashtag #10yearchallenge --desafio onde as pessoas postam uma foto sua de 10 anos atrás ao lado de outra atual, mostrando a mudança. Muitas celebridades e marcas também entraram na brincadeira, contabilizando até o momento mais de 8 milhões de menções da hashtag, somente no Instagram.

Mas o que é um desafio passageiro nas redes sociais, também é um desafio que dura muito mais tempo na vida de milhares de famílias: ver a mudança de seus familiares desaparecidos somente por progressões de idade digital, criadas pela Polícia.

Créditos: Divulgação

 A ação traz fotos de pessoas desaparecidas e, ao lado, imagens de progressão de idade, indicando como elas estariam hoje

Para chamar a atenção sobre o assunto, a ONG Mães da Sé lança um novo desafio: o #XXyearchallenge, o desafio para encontrar pessoas desaparecidas.

Créditos: Divulgação

 

“Encontramos neste movimento uma grande oportunidade para mobilizar as pessoas em prol de uma causa tão relevante. O compartilhamento digital amplifica ainda mais o alcance da nossa mensagem, proporcionando uma chance maior para que pessoas desaparecidas possam ser encontradas por seus familiares”, diz Ivanise Santos, presidente da ONG Mães da Sé.

Créditos: Divulgação

 

A proposta da ação é modificar o #10yearchallenge e estimular o compartilhamento de uma série de imagens que mostram como cada desaparecido pode estar hoje, de acordo com o tempo do desaparecimento. “23yearchallenge, 14yearchallenge, 37yearchallenge e, infelizmente, tantos outros números poderão fazer parte da nossa campanha”, complementa Ivanise.

Créditos: Divulgação

 

Para ajudar no desafio é só compartilhar, curtir, marcar um amigo ou comentar os posts nos perfis da Mães da Sé --Facebook e Instagram. Toda interação ajuda a aumentar o alcance das imagens nas redes sociais, fazendo --quem sabe-- chegar em alguém que possa encontrar ou ter informações das pessoas desaparecidas.