Ao contrário das pessoas que veem os idosos como um estorvo, o espanhol Alberto Cabanes os vê como uma oportunidade --oportunidade de aprender com sua sabedoria. “Tive a sorte de ter sido criado por meus avós e de aprender com eles valores impagáveis”, conta. “Ninguém merece estar sozinho, e nos asilos há muita solidão.”

Créditos: Divulgação

Projeto visa a solucionar o problema da solidão entre idosos

Ao visitar seu avô no Natal de 2013, conheceu um amigo dele. O idoso disse que seu maior presente seria ganhar um neto. Foi assim que nasceu a iniciativa “Adote um Avô”.

A proposta não tem fins lucrativos e visa a aproximar os jovens das pessoas mais velhas, que, muitas vezes, não recebem visitas nos abrigos.

Créditos:

Para elas, estar perto dos idosos é uma oportunidade de aprender

O projeto já tem mais de 200 apoiadores voluntários, que fazem companhia a mais de cem idosos. Tudo começou em Madri, mas o “Adote um Avô” já se espalhou por outras cidades espanholas. Segundo os organizadores, 98% dos jovens que aderem se mantêm participando.

Créditos: Divulgação

Marina Gala, de 93 anos, é uma das idosas que se beneficiam com o projeto

Uma das pessoas que se beneficia da iniciativa é Marina Gala, de 93 anos. Ela viveu solteira e, apesar dos preconceitos, trabalhou em um banco. “Eu a vejo como uma pessoa muito forte”, diz María Romero, uma de suas “netas”. A estudante  de comunicação audiovisual conta que a idosa viveu períodos difíceis, mas que tem sempre um sorriso para dar a elas.

Com informações do El Mundo