Faltaram moedinhas para completar a passagem de ônibus? Em Pelotas (RS), é só pegar algumas disponíveis tanto no poste próximo ao ponto quanto dentro do coletivo, próximo à catraca.

Quem tem sobrando deixa o troco em porta-moedas adaptados em cartazes. Quem não tem pega o dinheiro, em um sistema que busca estimular a confiança e aproximar a população da cidade gaúcha por meio da cooperação.

O projeto Troco Coletivo foi criado em fevereiro deste ano pela agência de comunicação Mark+ com patrocínio da cooperativa de crédito Unicred Integração.

“A iniciativa surgiu da observação do acúmulo de moedas, que ficam jogadas em bolsos e gavetas, e da necessidade de pessoas que não têm acesso ao sistema de transporte por falta de recurso”, conta Fernanda Terra, de 34 anos, coordenadora de atendimento da Mark+.

Ela conta que, no início, o projeto causou espanto. “Será que pode pegar? Depois, as pessoas foram interagindo”, lembra.

Para multiplicar a experiência em todo o país, a agência criou um vídeo e disponibilizou o modelo dos cartazes com porta-moedas, que são colados nos pontos, em uma página do Facebook.

Segundo ela, já houve interesse de pessoas no México e em Portugal. O Troco Coletivo tem ainda lançamento marcado para o dia 9 deste mês em Caxias do Sul (RS).

Por QSocial