Entre as inúmeras possibilidades que a tecnologia é capaz de criar quando o assunto é educação, uma vem impressionando professores e gestores de várias regiões do Brasil. Lançada no segundo semestre de 2012, a plataforma Arkos utiliza o conceito de gamificação para motivar crianças a incorporarem o hábito da leitura.

O método é simples: alunos do 2º ao 5º ano do ensino fundamental são incentivados pelas escolas a iniciarem as leituras e, em seguida respondem perguntas sobre o conteúdo das obras catalogadas. São mais de sete mil títulos disponíveis, entre eles “O Menino Maluquinho” e “Flicts”, de Ziraldo, o “Diário de um Banana”, de Jeff Kinney, e obras de Pedro Bandeira, Clarice Lispector, Tatiana Belinki, Ana Maria Machado, entre outros.

A ferramenta foi desenhada a partir de práticas comuns em jogos, como pontuação, rankings, níveis, medalhas e adesivos virtuais, entre outros. As competições acontecem entre grupos da mesma escola ou entre escolas e são acompanhadas pelos professores. Também podem participar pais e estudantes de escolas que ainda não estão cadastradas.

Inspirada num projeto alemão e em outros portais que fazem sucesso na Europa e nos EUA, a iniciativa é de dois professores do colégio Porto Seguro, Odair C. Artmann e Bruno Kosinski ao lado do empreendedor alemão Sven Kottmann.

Com acesso gratuito, a plataforma já reúne 13 mil estudantes registrados e 80 escolas ativas de 10 estados brasileiros. O objetivo é conquistar um milhão de alunos até o final de 2016. Em 2015 a ferramenta continuará a ser gratuita para as escolas públicas e será cobrada da rede particular de ensino.