Prestadoras brasileiras de telefonia móvel e fixa já estão disponibilizando intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais) às pessoas com deficiência auditiva e aos demais usuários. Essa é uma das obrigações de um regulamento estabelecido pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) que passou a vigorar na última sexta-feira (1º).

Créditos: reprodução/Anatel

Prestadoras de telefonia passam a ter serviço de tradução em Libras

Os serviços estão disponíveis 24 horas por dia e não geram custos adicionais. É possível realizar videochamadas por computador, tablet ou smartphone nos portais on-line das empresas, em cumprimento ao Regulamento Geral de Acessibilidade (RGA).

Também há, como opção, o número 142, que leva o usuário a ser atendido por uma Central de Intermediação de Comunicação (CIC). Neste caso, atendentes auxiliam a comunicação por meio de voz ou mensagens de texto.

Além disso, a partir de agora, todas as prestadoras devem disponibilizar ao assinante com deficiência visual a opção de receber cópias de contratos, planos de serviço, ofertas e documentos de cobrança em braile, com fontes ampliadas, ou em outro formato eletrônico acessível.

As companhias ficam obrigadas, ainda, a disponibilizar em seu site e em todos os canais de atendimento informações sobre os serviços em formato acessível; disponibilizar interação via mensagem eletrônica, webchat e videochamada por profissionais qualificados para atender pessoas com deficiência; possuir atendimento especializado no estabelecimento; e garantir a acessibilidade de sua página na internet.

Aplicativos

Créditos: reprodução/Google Play

App Central de Libras

Já estão em vigor outras regras do RGA, como a obrigação das prestadoras de dar atendimento prioritário às pessoas com deficiência; de ofertar planos garantindo que somente sejam prestados os serviços condizentes com o tipo de deficiência auditiva; de divulgar as funcionalidades, facilidades ou tecnologias assistivas e de atender solicitações de orelhão adaptado.

Créditos: Reprodução/Google Play

Aplicativo Giulia - Mãos que Falam

Alguns outros serviços e aplicativos já estão facilitando a vida dos deficientes auditivos, como o Central de Libras, o Giulia e o SMPED-CIL, da Prefeitura de São Paulo.

Créditos: reprodução/www.prefeitura.sp.gov.br/

Central de Interpretação de Libras (CIL) da Prefeitura de São Paulo tem aplicativo conectado

Com informações da Anatel

USP lança nova edição de dicionário de Libras

Rede Quem Inova

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário Redação da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.