O Ceará ganhou na última quinta-feira, 2, a primeira escola profissionalizante de cinema para povos indígenas no Nordeste.

Idealizada pela Associação de Mulheres Indígenas Jenipapo-Kanindé, com apoio do governo cearense, a Escola de Cinema Indígena Jenipapo-Kanindé fica na aldeia Lagoa Encantada, no município de Aquiraz, e sediará as aulas de cinema.

Créditos: Iago Barreto/Divulgação

Metodologia une formação técnica e saberes tradicionais

De acordo com o G1, a escola é exclusiva para o povo Jenipapo-Kanindé e destinada a pessoas a partir dos 12 anos.

"Agora vamos aprender a registrar nossa própria história", diz Juliana Alves, cacique Irê do povo Jenipapo-Kanindé, ao portal.

Os cursos terão duração de 3 anos e serão ministrados em módulos. As aulas serão quinzenais e gratuitas.

Essa história faz parte da série para o movimento Sou Responsável, cuja meta é estimular o protagonismo dos brasileiros. Em pleno ano eleitoral, o Catraca Livre e o Instituto SEB de Educação decidiram apoiar essa campanha para ajudar o brasileiro a também ser parte das soluções, e não do problema.

Cabeleireiro dá desconto para crianças que leem durante o corte