A fotógrafa norte- americana Patricia Lay-Dorsey foi diagnosticado com esclerose múltipla progressiva crônica em 1988. Vinte anos depois, ela virou a câmera em si mesma e começou a tirar autorretratos com a intenção de mostrar, intimamente, como é o dia a dia de um portador da doença.

As imagens relatam as lutas e conquistas do artista e como ela aprendeu a aceitar as limitações de seu corpo e comemorar suas habilidades ao invés de lamentar suas limitações.

Através da série 'Falling into Place', a Patricia conta sobre sua jornada convivendo com a esclerose múltipla e revela as muitas experiências vividas durante esses anos. Segundo ela, os retratos modificaram suas atitudes e a maneira como enxergava a si mesma.

O projeto teve início em 2008 e durou cerca de cinco anos, resultando em um belo livro lançado em 2013. A principal mensagem transmitida pela fotógrafa é mostrar para as pessoas que é possível ter uma vida completamente normal, mesmo tendo problemas de saúde.

Veja mais imagens do trabalho: