No Rio de Janeiro, 64 profissionais que representam um total de 25 empresas deram ao conceito de empreender em rede uma existência prática. Com o desejo de trabalhar de forma colaborativa, o grupo deu forma a Goma, uma inteligência coletiva multidisciplinar que atende diversos clientes desde pequenas, médias e grandes corporações nacionais até diferentes esferas do governo.

Reprodução/Facebook

Créditos: Reprodução/Facebook

Oficina de arte de rua na sede da Goma

“Somos um ecossistema de empreendedorismo em rede focado em inovação social. Nosso mix de produtos e serviços variam desde souvenirs sustentáveis --feito de materiais renováveis-- até serviços de consultoria nas mais variadas áreas relacionadas a novas economias”, conta uma das cofundadoras, Ursulla Araujo, 33 anos.

Devido a ausência de regulamentação jurídica para negócios sociais no Brasil, a Goma foi registrada, em novembro de 2013, como associação privada civil. A sede funciona como um condomínio de instituições, com postos fixos e flexíveis de trabalho, salas multiuso e, futuramente, terá também um café-restaurante e uma oficina focada no desenvolvimento de novos produtos de design sustentável.

Créditos:

Facha do prédio da Goma, na região central do Rio

“A receita destas atividades realizadas em nossa sede realimenta a associação, remunera os empreendedores e reduz nosso custo operacional. Este ciclo virtuoso aumenta o lucro individual de cada empresa”, conta Tomás de Lara, 30, outro cofundador.

Para Lara, a Goma carrega no DNA uma abordagem "co-ownership", onde as empresas que decidiram empreender em rede são suas próprias clientes. “Acreditamos que ao operar em conjunto nos tornamos mais competitivos e resilientes no desenvolvimento de novos produtos e serviços”, afirma Lara.

O grupo tem como objetivo criar um pólo de inovação e aprendizado tecnológico a partir do conhecimento gerado, sistematizado e distribuído na interação das diversas empresas.  “Assim os empreendedores terão oportunidade de desenvolver novos produtos e serviços com impactos positivos, a fim de ampliar nossa influência no mercado e na cidade onde estamos”, finaliza.