A Firgun é uma plataforma de microcrédito coletivo voltada para os públicos C, D e E. Diferentemente dos mais conhecidos sites de crowdfunding, a Firgun tem uma categoria especial de arrecadação para afroempreendedores.

Um exemplo de campanha é a que está sendo organizada por Bruno Brigida, do Clube da Preta, o primeiro clube de moda preta e acessórios do país. Ele foi indicado para buscar investimento no site por meio de indicação do Instituto Feira Preta, plataforma que há 16 anos fortalece e valoriza a cultura negra no Brasil.

O instituto une empreendedores que transformam a identidade negra em produtos, serviços e soluções criativas. Um deles é Brigida.

Créditos: reprodução/@Clube da Preta/YouTube

Bruno Brigida, do Clube da Preta

Na Firgun, os apoiadores podem ajudá-lo no desenvolvimento de seu negócio e depois recebem o dinheiro de volta. Brigida está recebendo valores de R$ 25 a R$ 350 até a próxima terça-feira (19), quando termina a campanha. A meta é conquistar um total de R$ 3.500.

Os clientes que se filiam ao Clube da Preta pagam um valor fixo por mês, como uma assinatura, e recebem em casa produtos variados de afroempreendedores e de produtores da periferia.

Ele teve a ideia desse negócio após participar da Feira Preta como visitante por quase 10 anos. O projeto tem três meses e já entregou quase 200 produtos pelo Brasil, movimentando R$ 5.000. Desse dinheiro, R$ 3.500 foram repassados para os fornecedores.

Créditos: reprodução/Firgun

Produtos do Clube da Preta

Apesar de ser cliente de um banco há um bom tempo, teve o crédito para seu negócio negado. Tentou uma outra instituição e se viu obrigado a fazer depósitos e contratar serviços para conseguir o empréstimo. Mesmo assim, não teve a quantia que queria aprovada.

Os apoiadores receberão atualizações periódicas, por e-mail, sobre a evolução de Bruno à frente do Clube da Preta. Caso você queira ajudar, clique aqui.

Conhecer melhor o crowdfunding pode fazer você realizar seu sonho