Foi-se o tempo em que uma lousa, giz e livros eram suficientes professora Bianca Netto Rodrigues ministrar a disciplina de ciências para os alunos do 8º ano do ensino fundamental do Colégio Poliedro, em São José dos Campos (SP).

Hoje, Bianca utiliza diversos recursos tecnológicos que facilitam a aprendizagem e a construção do conhecimento em sala de aula.

Créditos: Divulgação

A professora Bianca Netto Rodrigues durante aula no Colégio Poliedro

Por meio da aplicação da tecnologia, os estudantes podem visualizar organismos, órgãos, sistemas e ecossistemas em funcionamento.

“O uso da tecnologia tem tornado o ensino mais atrativo, estimulando a curiosidade, motivando o estudo, possibilitando o protagonismo do aluno”, diz.

As inovações são bem recebidas pelos alunos. “Como atualmente a vida gira em torno da tecnologia, acho muito legal ter esses recursos na escola, onde passo a maior parte do tempo”, diz a estudante Maria Rita Resende Aquino, de 13 anos.

Ao propor que os alunos trabalhem em grupos com autonomia na construção de jogos educativos virtuais, os jovens precisam se empenhar para aprender linguagem de programação ou usar a criatividade na criação.

Créditos: Divulgação

Recursos tecnológicos como jogos, lousa digital e realidade aumentada facilitam a aprendizagem e a construção do conhecimento

Além de aprender conceitos da ciência de forma mais divertida, a aula permite que os alunos tenham contato com linguagem de programação e desenvolvam autonomia na elaboração de jogos. “O planejamento completo do jogo deve ser pensado e executado pelo grupo, desde o objetivo principal, as regras, o tipo de jogo, sua construção, teste e funcionamento”, explica Bianca.

O uso de realidade aumentada, por sua vez, motiva a curiosidade dos alunos. O recurso tecnológico permite que eles vejam detalhes da estrutura de órgãos e organismos em funcionamento.

Projeção de imagens e animações também são úteis para demonstrar o funcionamento de órgãos e/ou sistemas do corpo humano. Em todas as aulas, a professora utiliza a lousa digital, uma vez que facilita e agiliza o manuseio de diferentes ferramentas, possibilitando o acesso à Internet, programas da Microsoft, entre outros.

O OneNote, por exemplo, é um programa amplamente utilizado na preparação das aulas, permitindo que pais e alunos tenham acesso às anotações realizadas na lousa durante as aulas.

As inovações não param por aí. O departamento de tecnologia e inovação do Poliedro auxilia a professora nas pesquisas sobre novas ferramentas disponíveis, ideias de aula e desenvolvimento do projeto, permitindo uma evolução constante do aprender e ensinar.