Por Alexia Finkelstein

Um aplicativo alfabetizador para adultos nativos da língua portuguesa, criado por cinco alunas do segundo ano do ensino médio do Colégio Bandeirantes, será lançado na Play Store na próxima semana. Por meio de sons e imagens, "Babu" ensina o usuário a ler e escrever a partir de palavras do seu dia a dia.

A ideia do app surgiu quando uma das integrantes percebeu as dificuldades enfrentadas por analfabetos, que vão desde entender o que uma placa diz até não conseguir assinar o próprio nome. Em vista de que muitos têm proximidade com equipamentos de acesso à internet e ao mesmo tempo demonstram vontade de aprender, pensou em converter todo o sistema de alfabetização para a linguagem digital.

A formação do grupo foi espontânea e logo encontraram a competição internacional Technovation Challenge para meninas inovadoras e empreendedoras. Com a estrutura do programa, estão aprendendo a programar, além de estruturar o aplicativo. "Programar que é difícil! Nunca tínhamos tido contato com isso e foi um mega desafio aprender, mas está sendo tão legal", conta uma das integrantes, Alexia Finkelstein.

No entanto, conciliar estudo ao projeto não é uma tarefa simples, como lembra Flávia Theresa, outra integrante. "Somos bem jovens e já estamos comprometidas com um projeto bem grande, que realmente pode dar certo. São muitas expectativas e pouco tempo para fazer tudo. Até agora o mais difícil foi dividir as tarefas entre nós e ver quem faz o que, mas tenho certeza que vai dar certo", relata.

E todo esse otimismo tem motivo. "Babu" é um aplicativo de fácil navegação que explora recursos digitais, combinando a identificação de letras, sílabas, palavras e frases com sua visualização em imagens e situações do cotidiano juntamente a áudios para posteriormente cumprir com o seu objetivo: a alfabetização.

Buscando atingir um grande número de usuários, há diversas propostas para aumentar a acessibilidade do app, que como a criação de uma campanha de financiamento coletivo e a doação de smartphones ou tablets. Há ainda anúncios na fanpage do aplicativo que estimulam aqueles que conheçam adultos que poderiam se interessar pelo gadget a entrar em contato pelo e-mail [email protected]

Para potencializar mais ainda o número de usuários do aplicativo, além de tornar mais dinâmico e efetivo o aprendizado, foi criado o projeto Babu. A proposta é colocar em contato interessados em aprender e voluntários para ensina-los a ler e escrever presencialmente durante dois meses. Depois desta etapa, dá-se início a aprendizagem em longa distância por meio de aparelhos fornecidos e com um período cada vez maior entre os encontros presenciais.

Qualquer um pode se voluntariar, tanto na assistência técnica quanto no acompanhamento dos alunos. É possível ainda apoiar o projeto fazendo sugestões ou críticas. Mais informações podem ser encontradas na fanpage do app.

Via Open City